o novo - sonia regina

[para ti - em 12.6.09]



na porta da velha casa rebentou um broto

sem promessas o movimento se concretiza
naquela existência, inventa o novo na aspereza

‘a vida não se destrói’, demonstra com simplicidade
aquele despontar exato e singelo

e eu compreendo:
é o justo revertendo o marasmo, a renúncia, o desalento.


2 comentários:

fred disse...

Belo. Belíssimo.
Ótimo fim de semana.
Beijos

SR disse...

Eh, Fred, bem chegado! Tava com saudades.

Obrigada.

Lindo findi procê também.

Beijos, muitos