Os seis nomes de Aldeia Velha - Sonia Regina

 
Por Sonia Regina. 







A 115km do Rio de Janeiro - no km 215 da BR 101- e aos pés da Serra do Mar, Aldeia Velha está cercada pela Mata Atlântica que abriga o raro mico-leão-dourado.

Conserva muito pouco do período colonial em sua arquitetura, mas tem a natureza intocada.

Os passeios por trilhas e estradas de terra podem ser feitos a pé ou a cavalo, com direito a banhos de rio e cachoeiras que, embora estejam nas fazendas da região, têm acesso permitido e até facilitado pelo oferecimento de guias pagos.

No centro da vila há barzinhos com música durante a noite e, para a hospedagem, há campings e pousadas.

Em Aldeia Velha se encontra a maior concentração de Reservas Privadas do Patrimônio Natural do Brasil com projetos de proteção e recuperação da Natureza local e atividades econômicas ecologicamente sustentáveis.









O primeiro e o segundo nomes:  Sacra Família de Ipuca e Aldeia Velha


Em 1700 o capuchinho italiano Francisco Maria Tali fundou uma aldeia indígena (aldeia de repartição) com índios trazidos de suas terras do outro lado da Serra dos Órgãos pelo sistema de "descimento”. Construíram a igreja da Sacra Família e o aldeamento foi denominado Sacra Família de Ipuca.


Em 1761 a aldeia da Sacra Família de Ipuca recebe imigrantes europeus, cumprindo assim uma das determinações do marquês de Pombal. Eram colonos suíços e alemães que aceitaram ficar por lá, embora tivessem vindo para povoar Nova Friburgo, do outro lado da Serra dos Órgãos. A aldeia foi promovida nesse ano a Freguesia do distrito de Cabo Frio.


A Freguesia de Ipuca foi crescendo, apoiada na exploração de madeira de lei e do Pau Brasil e no aproveitamento das terras férteis para a lavoura. Foi designado um capitão-mór (maior posto, equivalente a coronel) para comandar a aldeia de Ipuca, um índio - casado com uma negra escrava - que ficou responsável pela intermediação entre o governo luso-brasileiro e o aldeamento.
Em 1797 o povoado de Capivari (hoje município de Silva Jardim) era território da freguesia da Sagrada Família do Ipuca.


Apesar do crescimento e importância da Freguesia e do conhecimento das ervas medicinais que abundavam a mata atlântica, moradores abandonavam a aldeia devido aos constantes surtos e epidemias.



Ypuca é a palavra de origem tupi-guarani que significa buraco no igapó; igapó é trecho de mata inundado, pantanoso: os igapós acontecem no Araguaia e região Amazônica. Provavelmente a palavra Ypuca, utilizada aqui no Sudeste nessa época colonial, esteja relacionada às matas inundadas periodicamente no período das cheias do Rio São João.


Aldeia Velha está no território da bacia do rio São João, do qual o rio Aldeia Velha é afluente. Com as epidemias e a igreja  praticamente em ruínas (as Freguesias necessitavam ter uma, pois além de dos serviços religiosos eram os centros administrativos) , em 1801 a sede da Freguesia da Sagrada Família de Ipuca foi transferida para um núcleo de pescadores na foz do rio São João (hoje Barra de São João).


A povoação da ex-freguesia de Ipuca ficou sem igreja e passou a chamar-se Aldeia Velha.






_____________________________________
Aldeia Velha fica dentro da APA (Área de Preservação Ambiental) de São João/Mico Leão Dourado, que inclui a Reserva Biológica Poço das Antas" (Projeto Mandala http://www.epsjv.fiocruz.br/mandala/html/destinos/destinos.html)


"Originalmente a Reserva Biológica Poço das Antas era coberta pela Floresta Ombrófila Densa de terras baixas (Veloso et al. 1991) com formações permanentemente ou periodicamente alagadas."
http://pma.jbrj.gov.br/atuacao/area_atuacao.php?id=13 
___________________________________________










Os outros quatro nomes: Correntezas, Maratuan, Silva Jardim e Quartéis





Todos esses nomes têm certamente seus motivos administrativos (!?) e são de entendimento fácil - mas não simples. A melhor compreensão se dá através de uma linha de tempo:


1755 - Distrito criado com a denominação de Nossa Senhora da Lapa do Capivari (hoje Silva Jardim) no município de Cabo Frio.


1841 - Elevado à categoria de vila com a denominação de Nossa Senhora da Lapa do Capivari. Seu território foi desmembrado do município de Cabo Frio.



1843 - Nossa Senhora da Lapa do Capivari é constituída sede do distrito.


*1892 - é criado o distrito de Correntezas (hoje Aldeia Velha) e anexado a vila de Nossa Senhora da Lapa do Capivari.


*1904 - o distrito de Correntezas passou a denominar-se Maratuan. (hoje Aldeia Velha)


1926 – São desmembradas terras do Distrito de Correntezas (hoje Aldeia Velha) para criar o distrito de Bananeiras e anexá-lo ao município de Capivari.


*Março de 1938 - O distrito de Correntezas passou a denominar-se Aldeia Velha.


*Dezembro de 1938 - O distrito de Aldeia Velha ex-Correntezas passou a denominar-se Silva Jardim.


*1943 – O município de Capavari passou a denominar-se Silva Jardim e o distrito de Silva Jardim a denominar-se Quartéis e Bananeiras a denominar-se Correntezas.


1955 - O município de Silva Jardim continua termo da comarca de Rio Bonito, com 4 Distritos: Silva Jardim, Correntezas, Gaviões e Quartéis.


*1990 - O distrito de Quartéis teve seu topônimo alterado para Aldeia Velha.







Em “Síntese” de 31-Xll-1994, o município de Silva Jardim é constituído de 4 distritos: Silva Jardim, Aldeia Velha ex-Quartéis, Correntezas e Gaviões. Assim permanece desde a divisão territorial datada de 2007.








3 comentários:

Anônimo disse...

Olá Sonia, recetemente venho pesquisado sobre esta região, pois tenho um casal de ancestrais que viveram na velha Correntezas. No seu texto, você coloca que Aldeia Velha foi Correntezas. Neste aspecto gostaria de discordar, pois, olhando mapas do século XIX, assim como do século XX (1922) e do IBGE (1974), pude verificar que a vila de Correntezas ficava as margens do rio São João, mais exatamente próximo ao entroncamento com o corrêgo Riachão, como conta a história da colonização do vale do São João. Com base num mapa de 1922, calculei que Correntezas ficava a 14,5 km ao norte de Silva Jardim e 12 km a leste de Gaviões. Comparando com o mapa do IBGE (1:50.000), a localidade, que desapareceu por completo (!!), ficaria onde se marcou um pequeno cemitério (22,54S 42,41W). Mas, este cemitério, no google maps, aparentemente, também desapareceu!!
Segundo a história administrativa de Silva Jardim, Correntezas foi rebatizado de Maratuan. E a vila do Espírito Santo (pelo que vi no mapa de 1922), passou a ser a sede do distrito de Correntezas. Depois, esta vila passou a se chamar Correntezas.
Para completar, a vila de Ipuca, fica na foz do rio Aldeia Velha, como mostram os mapas do século XIX, acredito que ela ficaria entre a fazenda Bonança o Porto Pacheco. abraços. marcelo.barbio@yahoo.com.br

sonia regina disse...

Meu caro Marcelo

Obrigada pelo comentário.
O distrito de Correntezas passou a denominar-se Aldeia Velha pelo decreto-lei estadual nº 392-A, de 31-03-1938.
A Aldeia de Ipuca teve uma área extensa que compreendia terras às margens do São João.
Mantenhamos contato. Envie-me suas pesquisas e referências suas que posso publicá-las como citação, como faço com os demais autores que venho pesquisando.
Um grande abraço

Gizele disse...

Olá! Parabéns pelo texto! Se vc participou do último concurso da Editora Guemanisse, gostaria de convidá-la para o blog que eu criei: http://www.reclamacaoconcursocontos.blogspot.com/
Se vc estiver na mesma situação, peço que entre como seguidora do blog ou me envie um email: gizeletoledo@gmail.com
Estou tentando reunir os participantes do último concurso para ver o que podemos fazer. Depois de ler, pode apagar esta msg se desejar.
Obrigada.
Atenciosamente,
Gizele.