quem me respira?


um celeiro de magias, a poesia.
mesmo que, ao inalar o tempo,
eu sopre ventania

é o poema que me respira.


sonia regina

2 comentários:

Isabel Furini disse...

Maravilhoso. Poesia pura.

sonia regina [soreg] disse...

obrigada, isabel, muito obrigada.
sabe, também gosto deste.
foi um momento rápido mas de feliz encontro com a poesia.
bjs